Identidade

A ABRUNATI, fundada em 01/06/2012, tem por finalidade desenvolver atividades ligadas às questões concernentes ao processo de envelhecimento humano, bem como a valorização da pessoa idosa e sua inclusão na sociedade através das ações universitárias.

A necessidade de elaboração de Políticas Públicas que preparem a sociedade a para este cenário, consiste uma necessidade emergencial para esta realidade. A Organização Mundial de Saúde (OMS) prevê para o ano de 2025 que o Brasil terá a sexta maior população idosa do mundo. Os Programas desenvolvidos nas Instituições de Ensino Superior do Brasil por meio de pesquisas realizadas com essa população demonstram um quadro de desinformação sobre o idoso, de suas particularidades por vezes distantes do contexto social atual. As modestas pesquisas, a falta de educação continuada e assistência social e de saúde apontam as discussões que permearão esse Congresso. O diálogo e as possíveis estratégias para solucionar novas políticas para o idoso na esfera internacional venham justificar as melhorias da qualidade de vida de países que envelhecem. No Brasil, cabe ressaltar que as preocupações com o idoso devam ser definidas por políticas nacionais embasadas na Constituição de 1988, que traçou os direitos deste público e as linhas de ação setorial. Nesse âmbito, o trabalho de ensino com a terceira idade, tem se destacado com duas entidades de relevo: a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia e a Associação Nacional de Gerontologia.

As Universidades da Terceira Idade foram idealizadas por Pierre Vellas, no final dos anos de 1960, na França, como um espaço nas Universidades que atendessem a sociabilidade da pessoa idosa. No Brasil nos anos de 1980 surgiram as primeiras iniciativas educacionais em diferentes instituições públicas e privadas, com objetivos claros de inserção social, cidadania e comprometimento com a qualidade de vida do idoso.